Ouca Radio Ativa FM

O PORTAL DAS NOTÍCIAS DE BARRA D'ALCÂNTARA E REGIÃO

O PORTAL DAS NOTÍCIAS DE BARRA D'ALCÂNTARA E REGIÃO
E-MAIL 2: nicolas99878303@gmail.com

quinta-feira, 24 de maio de 2018

PI: Mulher suspeita de ter matado pai e filho se entrega à polícia

A suspeita de cometer um duplo homicídio ocorrido no último dia 11, em Floriano, se entregou à Polícia da cidade na quarta-feira (23). Francineia Guedes Rodrigues(Neivinha), de 25 anos, compareceu à sede da Delegacia Regional de Floriano, acompanhada de um advogado, onde foi recebida pelo Delegado Bruno Oliveira.
Francineia é a principal suspeita de matar a tiros Fabrício da Costa Reis, 37 anos, e Douglas Ribeiro da Silva, 18 anos, pai e filho respectivamente, em um crime de vingança pela morte do pai, assassinado por Fabrício da Costa há mais de dez anos.
Na última quinta-feira (17), o parceiro de Francineia, Denys da Silva Rodrigues, de 29 anos, recebeu alta médica após passar por uma cirurgia e foi encaminhado para a Penitenciaria de Vereda Grande. Em entrevista, o Delegado do 2° DP confirmou a presença de Denys no local do crime.
“Ele já foi ouvido e realmente disse que no dia deu uma carona, que levou ela até o local e que quem matou os dois foi a Francineia”, disse Bruno Oliveira.  Após ser ouvida, a mulher deve ser encaminhada para a Penitenciária Feminina de Teresina.
Francineia Guedes Rodrigues  (Crédito: Reprodução/Floriano News)
Francineia Guedes Rodrigues (Crédito: Reprodução/Floriano News)

Dinheiro das ofertas de fiéis católicos é furtado em novena no PI

Um furto de ofertas de fiéis católicos foi registrado em José de Freitas. O dinheiro estava dentro de um armário na capela de Santa Rita de Cássia, no Bairro Deus me Deu, quando foi levado pelo criminoso.
O furto aconteceu na ultima noite dos festejos em homenagem a padroeira do bairro, que é considerado muito violento com altos índices de furto/ roubo e assaltos.
Segundo informações colhidas no local, o dinheiro estava dentro de uma sacola no armário da capela, durante uma distração dos organizadores o ladrão entrou no local e realizou o furto.
Capela Santa Rita de Cássia (Crédito: Reprodução-Realidade em Foco)
Capela Santa Rita de Cássia (Crédito: Reprodução-Realidade em Foco)

Azeredo se entrega à Polícia para pena de 20 anos

 Imprimir
Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
O ex-senador e ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB) se entregou às 14h45 desta quarta-feira (23) em uma delegacia de Belo Horizonte. Ele é o primeiro político a ser detido no mensalão tucano.
Os cinco desembargadores da 5ª Câmara Criminal rejeitaram, nesta terça-feira (22), o recurso da defesa do ex-senador e ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB) no processo do mensalão tucano e determinaram a execução imediatada da prisão.
Azeredo foi condenado em segunda instância a 20 anos e um mês de prisão pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro, no mensalão tucano, em agosto passado. A condenação em primeira instância foi em 2015.
Eduardo Azeredo chegou à 1ª Delegacia de Polícia Civil Sul, no bairro Santo Antônio, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, acompanhado de um dos filhos e de um dos advogados.
Eles entraram na delegacia em um carro seguido de uma viatura da Polícia Civil.
Quartel do Corpo de Bombeiros
O juiz da Vara de Execuções Penais de Belo Horizonte Luiz Carlos Rezende e Santos determinou, nesta quarta-feira (23), que Eduardo Azeredo (PSDB) fique em uma sala especial em um quartel do Corpo de Bombeiros, em Belo Horizonte.
O juiz, em sua decisão, disse que Azeredo pediu uma "segurança individualizada". O magistrado também afirmou que, por se tratar de um ex-governador, "tem prerrogativa de manter-se em unidade especial como a Sala de Estado Maior que deverá estar instalada no Comando de Batalhão Militar".
Ainda no despacho, o juiz afirmou que a unidade preferencial para a detenção é um quartel do Corpo de Bombeiros por ter "fluxo menor de pessoas, o que notadamente permitirá maior segurança ao Sentenciado".
Na mesma decisão, está ainda determinado que Azeredo não usará o uniforme de detentos da Secretaria de Administração Prisional porque o quartel não faz parte da rede administrada pela pasta. E ainda está dispensado do uso de algemas, com exceção de situações que estejam "devidamente justificadas".
Parentes de Azeredo vão ser credenciados por equipe do sistema prisional para visitas ao tucano.
Mensalão tucano

Protesto afeta fornecimento e gasolina chega a ser vendida a R$ 8,99 no Recife FACEBOOK TWITTER

 Imprimir

Posto na Avenida Antônio de Góes, no Pina, tem litro da gasolina a R$ 8,99 (Foto: Reprodução/WhatsApp)
O preço do litro da gasolina chegou a ser vendido a R$ 8,99 nesta quarta-feira (23), no Recife, após o abastecimento dos postos de combustíveis ser afetado devido ao terceiro dia de protestos dos caminhoneiros contra o aumento do preço do diesel. Alguns postos na Região Metropolitana fecharam por falta de combustíveis para revenda.
A mobilização dos caminhoneiros, que ocorre desde segunda (21), é nacional. Nos postos que continuam abertos na capital e no Grande Recife, motoristas formaram filas para abastecer que invadiram faixas de ruas e avenidas, complicando o trânsito. O Porto de Suape teve a operação comprometida e o número de viagens realizadas pelos ônibus na Região Metropolitana foi reduzido em 8% desde a manhã desta quarta.
Na tarde desta quarta, os caminhoneiros realizam protestos em diversas rodovias do estado. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR-101, no Grande Recife, há dois pontos de manifestações: um no quilômetro 83, em Jaboatão dos Guararapes; outro no quilômetro 50, em Abreu e Lima. No Cabo de Santo Agostinho, houve bloqueio na via, encerrado às 15h50. Também em Jaboatão, houve manifestação no quilômetro 16 da BR-232, mas o ato foi encerrado às 16h30.
Em um posto localizado na Avenida Antônio de Góes, no bairro do Pina, na Zona Sul do Recife, o litro da gasolina passou a ser vendido a R$ 8,99 durante a tarde desta quarta. Na Avenida Agamenon Magalhães, na altura do bairro do Torreão, na Zona Norte do Recife, um posto vendia o litro da gasolina a R$ 6,99. Na Avenida Getúlio Vargas, em Olinda, houve postos que fecharam por causa da falta de combustíveis e outros em que a gasolina acabou.
Por meio de nota, o Programa de Orientação e Proteção ao Consumidor (Procon-PE) informou que recebeu denúncias de práticas abusivas nos postos de gasolinas, de combustíveis sendo vendidos por R$ 9, o litro. Por isso, o órgão enviou equipes de fiscais para verificar os preços de venda do produto.
Três postos da capital pernambucana foram autuados pelos preços abusivos. Dois deles, localizados na Avenida Norte, no bairro de Santo Amaro, foram autuados. Os preços eram de R$ 5,599 e R$ 4,999. O outro estabelecimento é de Boa Viagem, na Zona Sul, onde a gasolina estava sendo vendida a R$4,899. Na segunda-feira (21) o preço do combustível, no mesmo estabelecimento, era de R$4,399.
Suape
Nesta quarta-feira (23), os terminais instalados no Porto de Suape, no Grande Recife, tiveram o acesso de caminhões interrompido por um grupo de manifestantes, segundo a administração do complexo portuário. Com a mobilização nacinal, a carga e descarga de produtos e as operações portuárias estão comprometidas. Ônibus e veículos menores têm acesso normal.
A Justiça Federal concedou liminar, na noite de terça (22), determinando que o Sindicato dos Condutores em Transportes de Cargas Autônomos de Pernambuco (Sintracape) autorize o acesso de uma empresa terceirizada, que transporta combustível aeroviário, ao Porto de Suape.
A Infraero apontou que os aeroportos operam normalmente nesta quarta (23) e que monitora o abastecimento de querosene de aviação por parte dos fornecedores que atuam nos terminais, além de estar em contato com companhias aéreas e órgãos públicos relacionados ao setor aéreo para garantir o fornecimento de combustível de aviação.
A medida atende a um pedido da União, já que o protesto afeta tanto a atividade portuária quanto a regularidade de fornecimento de combustíveis para o Aeroporto Internacional do Recife-Guararapes/Gilberto Freyre. Por volta das 9h, o Porto de Suape informou que os manifestantes permitiram o acesso dos caminhões que fazem transporte de combustível de aviação.
De acordo com a administração do porto, 12 navios estão na área do ancouradouro, por causa de indisponibilidade de área para armazenagem de mercadoria nos tanques. Até quinta-feira (24), o porto estima que outros navios sejam impedidos de atracar em Suape por causa da lotação da área para armazenagem ou falta de carga para embarque. Todas as empresas do porto organizado e embarcações tiveram o fornecimento de mantimentos interrompido.
As operações de embarque e desembarque de veículos foram canceladas devido à ausência de carga da fábrica da Fiat em Goiana, no Grande Recife, e em Betim, em Minas Gerais. De acordo com o porto, os silos da Bunge Moinho, que armazena trigo, estão quase sem capacidade de armazenamento, impossibilitados de receber o produto de novas embarcações e de realizar a distribuição para padarias e indústrias.
Com a paralisação, o Terminal de Contêineres (Tecon Suape) corre o risco de ter a operação comprometida, já que os equipamentos que fazem a operação marítima de embarque e desembarque dos contêineres (portêineres) necessitam de óleo combustível para funcionamento e porque não há escoamento das mercadorias por via rodoviária.
Na terça-feira (22), os manifestantes permitiram a entrada de um caminhão carregado com nitrogênio para o resfriamento do terminal da Ultracargo, que armazena produtos de alta periculosidade. O produto, não disponível no porto, é suficiente para operação até esta quarta-feira (23).
O gás de cozinha (Gás Liquefeito de Petróleo) que atende diariamente a cerca de 30 mil famílias e pequenos comércios em diversas cidades de Pernambuco sai de Suape. Desde segunda-feira (21), nenhum produto foi retirado do porto. O desabastecimento, segundo o porto, impacta 200 clientes diretos por dia, como hospitais, indústrias, restaurantes, hotéis e prédios residenciais.
O óleo combustível utilizado em geradores convencionais que funcionam em locais como hospitais, escolas e postos de saúde, também não saiu do porto, assim como a gasolina e etanol que estão no terminal.
A termoelétrica Suape Energia também não recebeu óleo combustível, que é transportado apenas por via rodoviária. Toda a carga encontra-se armazenada dentro do porto organizado.
Correios
A não distribuição de combustível também afeta a operação dos Correios, que suspenderam as postagens com dia e hora marcados (Sedex 10, 12 e Hoje). Por meio de nota, a empresa informou, ainda, que a paralisação "tem gerado forte impacto às operações da empresa em todo o país". Os serviços Sedex e PAC, bem como o de correspondências, também sofrem com acréscimo de dias do prazo de entrega estipulado.

Homem que admitiu ter matado 43 pessoas vai a júri popular


 Imprimir

Foto: Pedro Zuazo
Saílson José das Graças, que ficou conhecido como "serial killer da Baixada" após confessar à polícia ter assassinado mais de 40 pessoas na região, vai a júri popular. A decisão é da 7ª Câmara Criminal, que rejeitou um recurso da defesa do réu. O júri chegou a ser marcado para o dia 18 de abril, mas foi adiado a pedido do Ministério Público (MP) estadual. A nova data ainda não foi definida.
No processo que tramita na Justiça do Rio Saílson é acusado de tentar matar uma mulher e seu filho, de cinco meses, enquanto dormiam. À polícia, no entanto, ele afirmou ter matado 43 pessoas ao longo de nove anos, a maioria mulheres.
A última vítima de Saílson foi Fátima de Miranda, de 64 anos, morta a facadas no dia 10 de novembro de 2014. Depois que o filho de Fátima encontrou o corpo da mãe, já sem vida, os vizinhos denunciaram o assassino à polícia. Na região, já se comentava a existência de um "maníaco da faca", em virtude de nos dois meses anteriores terem ocorrido outras quatro mortes a facada no Jardim Corumbá, bairro de Nova Iguaçu.
No caso da balconista Marilene de Oliveira Silva de Brito, de 47 anos, Saílson usou um martelo como arma. Em depoimento ao juiz Alexandre Guimarães Gavião Pinto, da 4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, Saílson alegou que a matou porque a vítima "se enquadrava no perfil que gosta de matar", ou seja, "mulher branca e magra e com facilidade de ser executada pois morava sozinha".
Em outra ocasião, Saílson matou uma mãe e seu bebê, que estava no berço. De acordo com a Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), Saílson confessou que seguiu Fernanda da Silva Hazelman, de 25 anos até a casa dela. Em seguida, o réu entrou na residência pela janela. Após asfixiar a vítima, matou, que dormia em seu berço, com 14 facadas, por ele “não parar de chorar”. Na ocasião, o outro filho da vítima, de 5 anos, também estava na casa. Segundo o depoimento de Saílson, ele viu o menino no local, mas como o garoto não chorou nem fez barulho, foi poupado.
Preso em dezembro de 2014, Saílson confessou os assassinatos com frieza. No mesmo ano, a pedido de sua defesa, o réu foi submetido a um exame de sanidade mental. O laudo apontou que Sailson não apresentavam sinais e sintomas que configurem doenças mentais e era “inteiramente capaz de entender o caráter ilícito” dos crimes.

Fonte: Extra.globo.com

Diretora expulsa aluna que leva filho para sala de aula


 Imprimir
Foto: Google Maps
Edna Carla Carvalho, aluna da Unidade Estadual Dr. Fontes Ibiapina, que fica no Renascença I, registrou Boletim de Ocorrência (BO) na manhã desta quarta-feira (23) na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente contra a diretora do turno da noite da escola, a Professora Maria das Dores Oliveira. O desentendimento entre as duas partes aconteceu na última terça-feira (22), quando a diretoria quis expulsar Edna da escola por ter levado o seu filho de 6 anos para a sala de aula. Aluna e filho foram agredidos verbalmente pela diretora.
A estudante de 31 anos cursa o 3º ano integrado ao curso Técnico de Enfermagem no turno da noite e, vez por outra, necessita levar o filho de 6 anos para a aula por não ter com quem deixá-lo. “Eu só levo ele para a escola é último caso, quando não tenho com quem deixar porque meu marido trabalha também no turno da noite”, disse Edna, “Já faço isso há mais de dois anos, que é o tempo que estudo lá, mas isso nunca tinha acontecido”, relata. 
Na noite do ocorrido que gerou o BO, a diretora, segundo a aluna, começou a ‘implicar’ com a criança quando a mesma foi beber água com a sobrinha de Edna, que estuda com ela na mesma sala. “Eles saíram para beber água e lá no pátio ela abordou minha sobrinha dizendo que ‘esse não pode ficar aqui na escola’. Minha sobrinha disse que a mãe do menino estava na sala de aula e dai ela já chegou gritando na sala que era pra eu ir embora, que não podia estar alí e iria me denunciar, inclusive ao Conselho Tutelar”, contou Edna. 
A discursão seguiu com a diretora aos gritos querendo que a aluna fosse até a diretoria para assinar o termo de desistência do curso. “Ela gritou muito, discutimos e ela queria que eu assinasse termo de desistência. Meu filho ficou apavorado, coitado, e quando os ânimos se acalmaram eu fui embora para casa”, contou Edna. “Tudo isso aconteceu no começo da noite, eu só tinha assistido uma aula, tinha até um seminário para apresentar, mas preferi ir embora”.
Nesta manhã, Edna registrou o BO porque seu filho ficou muito chocado, passou a noite com febre e ela também ficou abalada com a situação. Além disso, disse que foi à Gerência Regional de Educação (GRE) no Dirceu, onde registrou um termo de denúncia contra a diretora. “Me orientaram a volta à sala de aula hoje normalmente, que eles iriam, resolver o problema. Mas eu, sinceramente, não sei se volto. Ela é muito grossa com todo mundo na escola e ninguém nunca teve coragem de denunciar, essa é a verdade. Mas, mexeu com meu filho, mexeu na parte que mais me dói”, finalizou a estudante.
Procurada pela reportagem do Portal CidadeVerde.com nesta manhã, a diretora Dorinha, não se encontrava na escola porque só trabalha no turno da noite e os funcionários não tinham autorização para fornecer o telefone particular da mesma.
A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) se posicionou através de nota onde informa que a direção do turno da noite da Unidade Escolar não teria expulsado a aluna da escola, nem a agredido verbalmente. "Apenas a orientou sobre a não permissão de crianças na escola, haja vista a unidade esteja localizada numa área de risco.  A presença de crianças na escola as deixa em situação vulnerável e, caso haja algo com esses menores, a administração da escola pode até responder criminalmente. A medida é orientação do Conselho Tutelar", diz a nota.
A Secretaria também acionou a diretora que se posicionou na mesma nota:
“Nós orientamos as mães a não levar as crianças e ainda assim alguma delas levam até três filhos. A escola foi orientada pelo Conselho Tutelar a não permitir menores na escola, no turno da noite, pois é um ambiente impróprio. As aulas terminam às 22h e as crianças ficam dormindo pela escola. O direito da mãe é um e da criança é outro, e ambos devem ser garantidos. A aluna em questão continua coma a sua matrícula preservada”, afirmou a diretora Maria das Dores Oliveira.
Erica Paz Pereira, Especial para CidadeVerde.com
redacao@cidadeverde.com

Protestos: governo pede trégua a caminhoneiros

 Imprimir
Protestos: governo pede trégua a caminhoneirosRepresentantes dos caminhoneiros deixaram a reunião de hoje (23), com ministros da Casa Civil, Transportes e Secretaria de Governo, afirmando que o governo não apresentou propostas que levem ao fim da paralisação da categoria, que já dura três dias. De acordo com o presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Diumar Bueno, um novo encontro ficou agendado para amanhã (24).
Em evento ocorrido na tarde de hoje, também no Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer disse que pediu uma “trégua” de até três dias na paralisação. “Pedi que na reunião se solicitasse uma espécie de trégua para que em dois, três dias no máximo, pudéssemos encontrar uma solução satisfatória para os caminhoneiros e para o povo brasileiro”, disse. 
Temer frisou que o governo tem trabalhado desde o início da semana para encontrar uma solução para os caminhoneiros. “Desde domingo estamos trabalhando nesse tema para dar tranquilidade, não só ao brasileiro, que não quer ver paralisado o abastecimento, mas também tentando encontrar uma solução que facilite a vida especialmente dos caminhoneiros”.
A expectativa é que o governo apresente respostas às reivindicações dos caminhoneiros. “Não houve nenhuma proposta efetiva que possamos levar para a categoria. A proposta deles foi pedir um prazo para nós para que eles se posicionem amanhã às 14h”, disse o presidente da CNTA. Segundo ele, a categoria não vai desmobilizar a paralisação antes de ter um compromisso real de soluções para as demandas apresentadas. 
Fonte: Agência Brasil

Infraero alerta que aeroporto de Teresina só tem combustível até sexta

 Imprimir
Foto: Google Street View
O aeroporto Senador Petrônio Portela, em Teresina, tem combustível apenas até esta sexta-feira (25). Caso não seja reabastecido, em razão da mobilização dos caminhoneiros, existe o risco de que o aeroporto feche para pousos e decolagens. A informação consta do relatório do Núcleo de Acompanhamento e Gestão Operacional (Nago) divulgado nesta quarta-feira (23), em Brasília.
O relatório aponta que o aeroporto tem capacidade de permanecer sem abastecimento por dois dias. Os aeroportos de Palmas (Tocantins), Recife (Pernambuco), Maceió (Alagoas) e Aracaju (Sergipe) têm combustível disponível apenas até hoje (23). Outros cinco aeroportos tem a mesma autonomia de combustível do Piauí de no máximo dois dias: Goiânia-GO, Campo Grande-MS, Ilhéus-BA, Foz do Iguaçu-PR e Londrina-PR.
Em nota, a Infraero disse que está monitorando o abastecimento de querosene de aviação por parte dos fornecedores que atuam nos terminais e já alertou aos operadores de aeronaves que avaliem seus planejamentos de voos para que cada um possa definir sua melhor estratégia de abastecimento de acordo com o estoque disponível na origem e destino do voo.
 "Ao mesmo tempo, a Infraero está em contato com órgãos públicos relacionados ao setor aéreo para garantir a chegada dos caminhões com combustível de aviação aos aeroportos administrados pela empresa.Sobre o relatório mencionado pela reportagem, trata-se de um levantamento diário da Infraero e que ajuda a empresa a monitorar a situação do fornecimento de querosene de aviação pelas fornecedoras, além de auxiliar na proposta de ação por parte do Poder Público no sentido de garantir o abastecimento das aeronaves", afirma.
 
Aos passageiros, a Infraero recomenda que procurem suas companhias para consultar a situação de seus voos. Aos operadores de aeronaves, a empresa orienta que façam a consulta sobre a disponibilidade de combustível na origem e no destino do voo programado. "A Infraero compreende o direito de manifestação, mas entende que os protestos devem ocorrer sem afetar o direito de ir e vir das pessoas, bem como a segurança das operações aeroportuárias", encerra a nota.
Os caminhoneiros em Teresina fizeram nesta quarta-feira (23) o primeiro protesto contra o aumento do diesel no país. Ontem (22), os caminhoneiros no município de Uruçuí iniciaram as manifestações. A categoria está protestos nas estradas federais e estaduais em todo o Brasil, os atos chegam a contar com interdições parciais e totais das rodovias em alguns momentos. Cerca de 300 caminhoneiros aderiram à manifestação em Teresina e estão parados no Posto Fiscal da Tabuleta, Zona Sul de Teresina.
Pelo 3º dia seguido, nesta quarta-feira (23), caminhoneiros continuam protestando em rodovias federais e estaduais, além de vias importantes em 23 estados do país mais o Distrito Federal. Alguns atos ocorrem diante de refinarias, impedindo a saída de caminhões-tanque.
Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

Empate para Tiradentes e Sampaio no futebol feminino

 Imprimir
Os dois times precisavam da vitória no Albertão, mas ficaram no empate de 1 x 1. As maranhenses tiveram um bom começo de jogo, mas lá pelos 15 minutos o Tiradentes equilibrou as ações, porém o poder ofensivo das duas equipes não estava bem. 
Foto - Elziney Santos - FFP
Os ataques eram dominados pelas defesas, até com facilidade, até que aos 47 minutos Vilma acertou um bom chute de fora da área e marcou 1 x 0 para as piauienses.
O Sampaio viltou melhor para o segundo tempo e teve duas oportunidades para empatar, mas a goleira Kátia realizou ótimas defesas, com saidas perfeitas. 
Aos 21 minutos o Tiradentes perdeu oportunidade para o segundo gol e aos 27 foi a vez de Correia passar pela goleira Kátia e chutar para fora. 
Aos 30 minutos houve uma falta para o Sampaio e a goleira Kátia falhou soltando uma bola fácil. A zagueira Luany aproveitou e empatou em 1 x 1, placar final. O resultado não foi bom para as duas equipes. 
Ficha técnica de Tiradentes 1 x 1 Sampaio:
Local - Albertão
1º tempo - Tiradentes 1 x 0, gol de Vilma aos 47 minutos.
2º tempo - Sampaio 1 x 0, gol de Luany aos 30 minutos.
Placar final - 1 x 1
Tiradentes - Kátia; Talita, Amanda, Çiçamara e Izabela; Gleiciani, Janina (Luzinete). Vilma e Júlia (Eliene): Ana Maria e Rayssa(Fernanda). Técnico = Toinho.
Sampaio - Izabela; Perla (Vitória), Ana Clécia, Luany e Raquel; Codó, Drica, Jack(Tainara) e Helenise; Correia e Neymar (Fernanda).
Árbitro - Francisco Antônio Gonçalves de Areia; Assistentes - Talita Pinheiro Machado e Maura Cunha Costa; 4º árbitro - Djalma Alves Lima Filho; Analista de campo - José Valmir dos Santos Xavier.
Expulsão - Izabela(Tiradentes) aos 48 minutos do segundo tempo.
Em outro jogo do Grupo Vitória da Bahia e 3 BSport do Amazonas empataram por 0 x 0. Nas quatro primeiras posições, a classificação ficou assim: 3 BSport - 11 pontos; Vitória - 11 pontos; Tiradentes - 7 e Sampaio com 7 pontos.

Dídimo de Castro
didimodecastro@cidadeverde.com

Grêmio vence e avança na Libertadores como líder do grupo

 Imprimir
Grêmio e Cerro Porteño entraram em campo na noite dessa quarta-feira classificados, mas em briga direta pela liderança do grupo 2 da Copa Libertadores.
Luan marcou o gol do Grêmio em chute de fora da área (Foto: Itamar Aguiar/AFP)
Simultaneamente, o Tricolor o Gaúcho encarou o Defensor-URU em Porto Alegre, enquanto os paraguaios enfrentaram o Monágas-VEN em Assunção. 
No fim, deu tudo certo para os brasileiros. O Cerro até fez a sua parte e superou os venezuelanos por 3 a 2, mas graças a um gol de Luan, o Grêmio venceu os uruguaios por 1 a 0.
Os resultados válidos pela sexta e última rodada da primeira fase no grupo 2 confirmaram os gremistas classificados na ponta, com 14 pontos. Além disso, o time de Renato Portaluppi deve ser o segundo na classificação geral, atrás apenas do Palmeiras, que soma 16 pontos. O Grêmio só perde esse posto se o River Plate vencer o Flamengo nessa quarta por uma diferença de nove gols.
O Cerro Porteño fechou sua campanha inicial com 13 pontos e também avança às oitavas de final. Apesar de ter marcado apenas quatro pontos, o Defensor migra à Copa Sul-Americana, pois o Monágas foi ainda pior, com três pontos.
Para quem enfrentou o frio e foi apoiar o Grêmio in loco nessa quarta, o resultado valeu muito mais a pena do que qualquer outra coisa. A partida foi dura de assistir.
Com os visitantes dispostos apenas a marcar no campo defensivo, sem sequer arriscar algum contra-ataque, o duelo virou um ‘treino’ de ataque contra defesa, em que os mandantes sofriam para encontrar os espaços.
Dessa forma, o primeiro tempo passou sem deixar saudade. Na segunda etapa, quando o marasmo tomava conta do ritmo, Luan resolveu arriscar de fora da área. Com um chute rasante, firme, o camisa 7 acertou o canto esquerdo do goleiro Gastón Rodríguez, que demorou para se jogar na bola e acabou vazado.
E assim o Grêmio fechou a conta, satisfeito, sem se preocupar com o desempenho, que na noite dessa quarta-feira acabou comprometido pela postura do adversário e também pelo fato do time ter entrado em campo já com a classificação garantida.
Agora, Renato Portaluppi prepara sua equipe para o jogo contra o Ceará, em Fortaleza, marcada para às 19 horas (de Brasília) de domingo, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

Fonte: Gazeta Press